15 de dezembro de 2010

Louro de apolonio

Louro de apolonio:
As bagas fazem parte do bálsamo de Fiora-vanti, que tem aplicação contra o reumatismo, para fricções. As folhas são utilizadas numa infusão com a seguinte fórmula: folhas de loureiro-de-apolônio, 4g; casca de laranja-azeda, 8g; água fervente, 200g. Deixar em infusão durante 15 minutos, passar e adoçar. Para preservar os animais contra as moscas, aconselha-se colocar sobre o pêlo uma leve camada de bálsamo de Fioravanti.

7 de dezembro de 2010

Flor de Linho

Cada flor produz uma dezena de grãos escuros, lus-trosos, de sabor adocicado. Certas espécies são cultivadas unicamente para o aproveitamento dos seus grãos, sobretudo na Índia, Argentina, URSS, Espanha, Marrocos e. Canadá. Os grãos são ricos em mucilagem e diversos óleos. O grão ainda é empregado como laxativo e em lavagens intestinais, sendo muito úteis nas diarréias e disenterias. Abranda a irritação das vias digestivas. Recomenda-se, para regularizar o funcionamento dos intestinos, tomar pela manhã, durante o tempo necessário à cura, uma colher de grãos moídos misturados num copo d’água. Usa-se o óleo também como laxante.’ A dose varia entre 15 a 20 grãos. Recomendam também como vulnerário para pensar ferimentos e feridas de qualquer natureza: constitui-se o vulnerário em uma mistura, em partes iguais, de óleo de linho e de vinho verde. Há uma referência evangélica sobre esse tratamento, quando o bom samaritano pensou os ferimentos do viajor com óleo e vinho…

23 de novembro de 2010

HERA TERRESTRE

HERA TERRESTRE (Nepeta glechoma, Benth.).
Família das Labiadas. A hera terrestre é uma pequena labiada, de folhas dentadas triangulares, muito longinquamente semelhantes às da hera propriamente dita. As suas flores são azuis, com tendência a se tornar violetas. Possui odor agradável e é muito encontradiça em estado selvagem. Os lavradores chamam–na comumente de hera-de-são-joão e coroa-da-terra, correia–de-são-joão-batista e herazinha. Contém propriedades béquicas e expectorantes. O leite preparado numa decocção de 50g de hera-terrestre, num litro, tomado durante a noite, à razão de uma xícara comum, dá excelentes resultados nos casos de bron-quites. Suas virtudes tônicas, excitantes e ligeiramente diuréti-cas, são úteis nos casos de diarréias das crianças ou nos suores noturnos. Pode também ser empregada em inalações, com bons resultados contra as constipações que afetam o cérebro (peso na cabeça).

16 de agosto de 2009

Lagenaria siceraria

Lagenaria siceraria

ABACEIRO AMARGOSO
(Lagenaria vulgaris Ser.). Família das Cucurbitáceas. É erva trepadeira, um pouco perfumada, caule grosso e anguloso, folhas curto-pecioladas, cor-diformes; flores brancas, grandes, solitárias ou subsolitárias; o fruto é baga crustácea, densamente vilosa,

25 de julho de 2009

Bonina

Bonina

BONINA
(Mirabilis jalapa, L.). Erva originária do México, que se tornou planta doméstica no Brasil, a bonina pertence à família das Nictagináceas. Atinge a altura de 50 a lOOcm.

17 de julho de 2009

Beldroega

Beldroega

BELDROEGA
(Portulaca oleracea, L.). Pertence à família das Portulacáceas e é uma planta de pequeno porte, de caules suculentos e folhas glabras, lineares. Vegetal que contém elevada porcentagem de ácido salicílico, c cujas sementes combatem os vermes intestinais. É planta diuretica c estancadora de hemoptises.

6 de julho de 2009

Plantas medicinais fotos

Plantas medicinais fotos

Ainda do tronco pode-se extrair matéria para o fabrico de papéis. O seu papel é sem gema, impermeável naturalmente, fino e resistente.
Pela potassa e ácido fosfórico existentes na banana ela pode ser usada na refinação do açúcar c no fabrico do sabão, ótimo alimento para os animais, especialmente os suínos

18 de junho de 2009

Balata

balata

BALATA

(Mimusops Balata Gaertn.)| A balata pertence à família das Labiadas. Recomendam-na para o tratamento da gota reumática, sendo também com antispasmódico, calmante, emenagogo, diurético, tônico, vermífugo, aconselhado na histeria, nos espasmos do esôfago e nas perturbações nervosas intensas.

14 de junho de 2009

Azevinho

azevinho

AZEVINHO

(Tlex aquifolium, Lim.). Arbusto da família das Aqüifoliáceas. O azevinho é uma planta muito comum que cresce sob as matas, também chamada mirto espinhoso. A sua parte ativa é o rizoma e contém virtudes como aperitivo e diurético. Usa-se um punhado num litro de água, que se ferve durante dois minutos, deixando-se em infusão durante dez. Tomar à vontade. Pode-se conseguir bom resultado com o uso do azevinho nos casos de gota, seja sob a forma de infusão ou de extrato aquoso, na dose de 1 a 4g por dia. Contém bastante sal de potássio e cal, um óleo essencial e uma resina. É um diurético comprovado. Bom número de autores prescrevem ainda o xarope de cinco raízes, no qual é empregado o azevinho.

10 de junho de 2009

Uso medicinal

uso-medicinal

Ainda outras têm a mesma forma, com a diferença de serem largas na base. Indica-se o seu uso medicinal contra o catarro pulmonar, a rouquidão e a tosse. Segundo o Dr. Léo Manfred, “o infuso teirorme desta planta (10:1.000) emprega-se para combater os males do peito, para facilitar a expectoração, para aumentar o apetite e para favorecer a digestão, bem como para acalmar as dores reumáticas e mitigar a sequidão da garganta.