13 de maio de 2010

Planta ciclame

Planta ciclame

Planta ciclame.
Há as variedades álbum e Peakianum. É planta originária da Europa, conhecida no Brasil, também, como violeta-dos-alpes. Existe também a segunda espécie, ciclame-da-pérsia, que dá flores muito grandes, róseas, inodoras, com o tubo da corola gobulosos e as largas e compridas divisões levantadas maculadas de carmim vivo na base. Parece que esta espécie não é medicinal. Entretanto, outra espécie, a ciclame-de-nápo-les (C. neapolitanum Teu.) é uma planta de tubérculo grande e achatado, emitindo radículas em toda a volta e suas flores aparecem antes das folhas e suas folhas assemelham-se às da Hera. Servem para enfeitar rochedos naturais ou artificiais. O tubérculo goza das mesmas propriedades da planta ciclame-da–europa, sendo portanto, medicinal. Subdivide-se também em outras variedades.

12 de junho de 2009

Azedinha da horta

azedinha-da-horta

AZEDINHA-DA-HORTA

Planta da família das Poli-gonáceas, seu nome científico é Rumex-acetosa, L. É muito vivaz, de caule fistuloso, ereto, estriado e freqüentemente avermelhado, até 80 centímetros de altura. Suas folhas são um pouco glaucas na página inferior, carnosas, sendo as inferiores pecioladas, oblongas ou ovais, sagitadas, com aurículas acuminadas e dirigidas para baixo, quase paralelamente ao pecíolo, que é muito comprido e canaliculado, e as superiores sésseis e ample-xicales, bainha inciso dentada ou laciniada, amarela, suas flores, avermelhadas, pequenas, dispostas em panículas terminais e laterais.

7 de maio de 2009

Agoniada

agoniada

AGONIADA

(Plumeria lancifolia Muell. Arg.). Da família das Apocináceas. Arvore pequena, chegando até 8m de altura, com raízes muito compridas e caule lactescente, sua casca é acinzentada, e suas folhas longo-pecioladas, grosso-lanceo-ladas, agudas, inteiras, até 25cm de comprimento e 3cm de largura. Suas flores são brancas, campanuladas, com a base do tubo amarelo, grandes, dispostas no ápice dos ramos em cimei-ras de 2 ou 3; seus frutos folículos geminados, fusiformes, de 9cm de tamanho normal, contendo sementes. É altamente medicinal. Sua casca é antiasmática, anti-sifilítica, emenagoga, pur-gativa, com ação direta sobre o útero, que descongestiona, auxiliando a concepção e regularizando as menstruações; usada também nas afecções histéricas, clorose, ingurgitamentos, gan glionares, linfatites e doenças da pele, solta muito látex anti-hel-míntico, cujo resíduo é borracha e nele se contém um ácido, o princípio amargo “plumerina” e o alcalóide “agoniadina”, sendo este último febrífugo, sucedâneo da quinina na cura das febres intermitentes. Porém, a dose elevada produz síncopes, delíquio e até mesmo a morte, sendo que essa substância é altamente venenosa. As folhas, também lactescentes, são medicinais, tendo as mesmas virtudes terapêuticas que a casca e ainda mais, são galactagogas quando colocadas sobre os seios das parturientes e a de restaurarem as forças dos órgãos genitais debilitados, quando cozidas e postas sobre os mesmos. Dizem, no entanto, que quem a emprega corre o risco de se tornar estéril. Os her-vanários e os feiticeiros chamam-na “Arapuê”.
As sementes serviam aos índios para a feitura de adornos, como colares, maracás, chocalhos e demais peças, principalmente para os dias festivos. Tem a variedade major (P. ago-niata Pk.), de maior porie. Essa árvore chega a ter 20m de altura e outra Microfila (quina-branca), respectivamente de folhas maiores e menores. No Brasil é grande o seu cultivo, abrangendo toda a região compreendida entre Goiás e Rio Grande do Sul. Conhecem-na também como Quina Mole ou Tapuoca.

5 de maio de 2009

Açucena

acucena

AÇUCENA

(gênero Hippeaslrum). Família das amarilidáceas A açucena branca, (Lilium candidum, L.) é uma erva da família das liliáceas, originária da Síria.

Folhas verde-claras, lanceoladas. O pólen é estimulante e antispasmódico. A açucena dos jardins (Hippeastrum vittatum Herb) é erva da família das amarilidáceas, de bolbo branco e carnoso.
“É talvez a espécie mais bela e mais ornamental do gênero, dando flores de cores variadíssimas, desde o róseo alaranjado ao vermelho escuro; tem mais de 20 híbridos magníficos, merecendo especial destaque Eugène Sanchet e General Duchesne, ambos de flores enormes, o primeiro com margens vermelho-purpúreas e o segundo com a mesma margem verelho-cereja.
O bolbo passa por ser emetocatástico e útil contra a asma, bronquite e afecções pulmonares.” (Pio Correia.)
A açucena formosa, (Sprekelia formosissimum Herb) é erva que também pertence à família das amarilidáceas.
Originária do México, apresenta flores grandes e vermelhas. “Estas flores quando recebem a luz solar emitem reflexos brilhantes corno se estivessem polvilhadas de ouro; o bolbo encerra o alcalóide W aniarilina, que é um composto de base pirídica, matéria corante vermelha, glicose, cera e tártaro de potássio.
Aquele alcalóide tem propriedades cardíacas idênticas às da Digitalis purpurea L. (Fragner); o bolbo, aplicado externamente é resolutivo e emoliente, útil contra as inflamações, furúnculos e abscessos.”

4 de maio de 2009

Acataia

acataia

ACATAIA

(Polygamum Hydropiper L.). Família das Poligonáccas. Erva que viceja em águas doces. É conhecida em Alagoas por “capichoba”, e nos demais Estados pelo nome de “erva-de-bicho”.
Caule gretado, folhas oblongas, com os pecíolos roxos, e flores brancas, compridas como vergônteas.
O fruto é uma pequena cápsula. É utilizada para disente-rias, gonorréias, febres malignas, retenções de urina c ataques hemorroidais.