8 de agosto de 2010

Flor de corticeira

Corticeira:
É ótima para o fabrico de papel. Sua casca é adstringente, cicatrizante e desobstruente, serve também para curtume e dá matéria tintorial vermelha. Encerra o alcalóide erythrina. Do cosimento da casca faz-se remédio para golpes e constitui ainda um poderoso hipnótico. É também recomendado no tratamento das hepatites crônicas e do reumatismo. Das flores trituradas obtém-se tinta vermelha para vários fins. As sementes, que também contêm o mesmo alcalóide, são venenosas. Os ramos contêm saponina e peroxidase. Ê, no entanto, muito ornamental, cutivada nos parques e até nas ruas, principalmente na Europa. Contudo a cor das flores é variável, mudando de nuanças chegando a ficar, às vezes, branco-avermelhadas. Existem muitas variedades e cruzamentos feitos pelos entendidos, conseguindo mesmo que a árvore fique menor e as flores, maiores. No Brasil é conhecida também com os nomes de mulungu, sananduva e flor-de-coral.