6 de março de 2010

Cedro do libano

Cedro do libano

Submetido à destilação, tira-se dele o “libanol”, essência amarelo-clara, perfumada, com a densidade de 0,9517, a qual é valiosa como antiblenorrágica e muito útil também contra enfermidades das vias urinárias, assim como nas afccções pulmonares, inclusive curando a tuberculose; o nome da essência resulta do fato do cedro-do-atlas haver sido, durante muitos anos, considerado uma simples variedade do cedro do líbano.

1 de março de 2010

Cedro do libano

Cedro do libano

Cedro do libano.
Os frutos têm sabor amargo, quente e terebintáceo, contêm resina, açúcar, uma substância amarga, os hidrocarburos “cadineno” e “pine-no” e sais de cal e de potassa. Porisso são balsâmicos, esto-máquicos, diuréticos, antileucorréicos, emenagogos; fazem parte da composição da famosa aguardente “genebra”, assim como na do “gin” e no “vinho diurético de la Charitè”.

28 de fevereiro de 2010

Cedro libano

Cedro libano

Cedro libano.
Suas folhas são dióicas, masculinas e femininas; as primeiras dispostas em amento solitários e axila-res, e as últimas cm 2-3 séries alternadas com escamas verticiladas e seu fruto composto, gálbula ou pinha, ovóide-globosa, preto-azulada, as femininas também solitárias, coroadas por três escamas carpelares e contendo três sementes trígonas revestidas de tegumento duro; endosperma oleaginoso.