23 de janeiro de 2013

Beneficios da soja na saude

Anticancerígena.
Outras pesquisas têm apontado a soja como redutora natural do colesterol e do colesterol LDL. Apenas 25g por dia, de soja ou algum de seus derivados, são suficientes para diminuir o nível de colesterol. Isso acontece porque a soja é rica em vitamina E, considerada um antioxidante do LDL. Quando o colesterol LDL oxida, pode causar maior aumento no colesterol total, além de lesões internas nas paredes arteriais. Na Itália, a soja é fornecida gratuitamente pelo governo para o tratamento de doenças cardíacas e colesterol alto.

O mais excitante, porém, em relação à soja são as substâncias anticancerígenas que o grão possui, entre elas: saponina, filosterol, isoflavonas, ácidos fenólicos e inibidores das proteases. Muitos outros vegetais também ricos em produtos anticâncer têm sido pesquisados pela medicina moderna. E o caso do germânio, do alho, do tomate, da berinjela, brocóli, repolho e outros.

A soja, porém, possui uma substância que lhe é peculiar. E a chamada genisteína. Do grupo das isoflavonas, a genisteína se destaca pela sua semelhança com o hormônio feminino Estradiol. Os chamados cânceres hormônio dependentes (mama, ovário e útero) dependem da atuação desse hormônio. Estes órgãos possuem receptores do hormônio feminino, ou pequenos locais que atraem e fixam o hormônio no órgão alvo. Como a genisteína tem a estrutura semelhante do hormônio, ela ocupa o lugar (receptor) do mesmo nos chamados órgãos alvos, diminuindo a produção de câncer. Pesquisas em ratos têm comprovado estes resultados. Estudos epidemiológicos também comprovam a menor incidência destes tipos de câncer em populações com alta ingestão de soja como no Japão e China.

A concentração de genisteína na soja e seus derivados é a seguinte:
• Soja em grão cozido (1/2 x(cara) – 35mg
• Leite de soja (1 xícara) – 40mg
• PVT (Soja texturizada -1/2 xícara) – 35mg
• Tofu (1/2 xícara) – 40mg
• Farinha de soja (1/2 xícara) – 50mg

A quantidade aconselhada para se alcançar um nível adequado de genisteína é de 25mg por dia, o que corresponde a pouco menos de meia xícara de grão de soja por dia, ou pouco mais da metade de uma xícara de leite de soja, ou menos de meia xícara de PVT, ou pouco mais de 1/4 de xícara de tofu, ou 1/4 de xícara de farinha de soja. O óleo de soja, a margarina e os chamados concentrados de soja não contêm genisteína.

Outros estudos têm descoberto que a genisteína diminui o crescimento das células cancerígenas por inibição de certas enzimas. Além dos cânceres femininos acima mencionados, existe o potencial de prevenção também do câncer de intestino, de pele e de certos tipos de leucemia. Estudos em animais de laboratório comprovaram que a genisteína inibe o crescimento de tumores cancerosos porque ela diminui a formação de capilares sangüíneos nestes tumores, os quais são essenciais para o desenvolvimento dos mesmos. Isto também pode sugerir que a genisteína seria útil no tratamento e prevenção de doenças com proliferação vascular intensa, como a teleangectasia e a retinopatia diabética.

Outra vantagem da genisteína é que as células cancerígenas costumam desenvolver resistência à ação da quimioterapia, ao passo que a genisteína não produz nenhuma resistência. E claro que muitas das pesquisas sobre a soja e a genisteína têm sido dirigidas para a produção de uma droga para a cura do câncer. Mas não devemos esquecer que o alimento, simplesmente o grão de soja, possui propriedades suficientes para atuar como um preventivo do câncer. O grande segredo aqui é desenvolver receitas que utilizem o grão de soja, bem como os seus derivados. Acredito que uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, soja, alho, fibras, e um regime de vida sem cigarro, álcool, gorduras e proteínas animais é a maior arma contra o câncer e, quem sabe, para a maioria das doenças crônicas.
A Bíblia diz que o homem foi criado vegetariano (Gênesis 1:29). Será que hoje temos esta inumerável quantidade de doenças porque estamos vivendo à margem do regime original?