3 de abril de 2011

Planta saponaria

SAPONÁRIA OU SABOEIRA (Saponaria officinalis, L.).
A saponaria é uma planta selvagem muito comum. Pertence à família das Cariofiláceas, e cresce em terrenos arenosos. É conhecida também sob o nome de saboeira-lcgítlma. Suas flores são cor-de-rosa, e as folhas pontudas e verdes. É planta vivaz. Suas hastes atingem 0,60m de altura, as raízes são ram-pantes, alongadas, de cor amarelada. Todas as partes da saponaria são úteis em Medicina. Contém uma resina, um glicosido, a saponina, da qual apenas um milésimo é suficiente para tornar a água sapindácea; seu emprego em Medicina remonta ao tempos dos médicos árabes, que a prescreviam para combater a lepra, as úlceras malignas e os dartros. É recomendada sobretudo contra o reumatismo e a gota. A melhor forma de sua aplicação é um extrato aquoso das raízes, na dose de um a dois gramas por dia, preparado segundo a receita seguinte: extrato aquoso de saponaria, lOg; xarope simples, 900g, tomando-se 5 a lOg de xarope por dia. Pode-se usar também a decoeção na base de 100 por 1000, 2 copos por dia, como depura-tivo. Deve-se evitar de deixar as folhas macerarem na água, porque seria perigoso. Emprega-se também como gargarejo com bons resultados nas anginas. A decoeção das flores da saponaria, à razão de 25 a 30g por litro, é recomendada por alguns autores contra o reumatismo. Alguns utilizam a infusão da saponaria nos casos de edemas e de icterícia. A infusão da planta (um bom punhado numa xícara de água fervente) é igualmente recomendada. Juntamente com o amor-perfeito selvagem, le me-nyanthc, la fumeterre, a seringueira, o salgueiro, a salsaparrilha e a bardana, a saponaria é utilizada como tisana depurativa. Como dentrifício vegetal, finalmente, recomenda-se a seguinte composição: tintura de folhas de saponaria, 20g; alcoolatura de cocleária, 20g; essência de menta, 3 gotas. Usam-se todas as partes da planta, ainda, para limpeza de tecidos e do cabelo, do mesmo modo que o sabão comum.