1 de junho de 2013

Para que serve óleo de copaíba

ÓLEO DE COPAÍBA É INDICADO PARA TRATAR INTESTINO PRESO?

Ainda não há estudos que comprovem sua eficácia”, responde o farmacologista João Ernesto de Carvalho, da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, no interior paulista. “Mas os óleos, de modo geral, têm ação laxante.” Não convém, no entanto, consumir o de copaíba.já que não se conhecem os efeitos adversos. Há pelo menos sete espécies dessa planta no país. A que se origina na região amazônica tem propriedades antimicrobianas e cicatrizantes e auxiliaria no combate a tumores. “Nem por isso o óleo deve ser ingerido”, reforça Carvalho. “Essas atuações só foram observadas em pesquisas em tubos de ensaio.”

24 de abril de 2013

Dieta para hiv

Reposição das vitaminas.

Os indivíduos com Aids também com freqüência apresentam níveis sangüíneos de Bn mais baixo do que o normal. As causas sugeridas incluem alteração das proteínas que transportam Bi2 e má absorção ocasionada por diarréia crônica. Os indivíduos normais necessitam de 2,0 mcg/dia dessa vitamina, enquanto as pessoas com deficiência do sistema imunológico necessitam de aproximadamente 3.000% acima dessa dose recomendada.
A deficiência de B6 (pi-ridoxina) também foi relatada em pacientes com HIV, embora as causas que levam a essa deficiência não estejam completamente ‘esclarecidas. A falta de vitamina no organismo causa depressão, náuseas, dermatite, vômitos e lesões nas membranas. As melhores fontes de B6 são: levedura, germe de trigo, carnes, as víceras (especialmente o fígado), grãos de cereais integrais, legumes, batatas, bananas e farinha de aveia. O leite, os ovos, os vegetais e as frutas contêm pequenas quantidades. O indivíduo normal necessita de 2,0mg/dia de B6 ao passo que o indivíduo com o sistema imunológico debilitado necessita cerca de 200% dessa recomendação.

O ácido fólico, outra vitamina do complexo B, é essencial tanto para a formação como para a maturação das células sangüíneas brancas e vermelhas na medula óssea. Ele é importante na formação do grupo heme da hemoglobina. Sua deficiência resulta em uma diminuição do crescimento, anemia e outros distúrbios sangüíneos em glos-sites (inflamação na língua). Há também os distúrbios do trato gastrointestinal oriundos de dieta inadequada, absorção prejudicada ou demanda excessiva pelos tecidos corpóreos e por desarranjos metabólicos.

Vários pacientes com síndrome de má absorção têm a absorção de ácido fólico prejudicada. A desnutrição causada por falta de proteína pode prejudicar a utilização e a ação do ácido fólico. Essa vitamina existe amplamente nos alimentos e as melhores fontes são os feijões de lima, os feijões roxos, os vegetais de folhas verdes frescas, especialmente o aspargo, brocoli e espinafre. A carne magra, as batatas, o pão de trigo integral e os feijões secos também são boas fontes.
As fontes mais pobres incluem a maior parte das frutas e raízes vegetais. Há controvérsias em relação ao papel dos folatos (ácido fólico, vitamina do complexo B). Alguns pesquisadores mostram que eles se encontram em níveis baixos no sangue de pacientes aidéticos, mas outros investigadores não concordam com esse achado.

O ferro participa no transporte de oxigênio dos pulmões para os tecidos, no transporte de gás carbônico das células para os pulmões e no processo de respiração celular. No adulto, as hemácias são formadas principalmente na medula óssea. Alguns alimentos contêm o ferro: a gema de ovo, frutas secas, pães de trigo integral, cereais, carnes, etc. Os vegetais e feijões secos representam as melhores fontes vegetais. O indivíduo normal necessita de lOmg/dia desse mineral. Mas, para os portadores do vírus HIV, estudos sugerem um aumento de cerca de 200% da necessidade recomendada.
Alguns estudos demonstram reduzidos níveis de zinco no sangue de indivíduos infectados pelo HIV. Verificou-se também que a deficiência de selênio ocorre na desnutrição relacionada à Aids. O mecanismo exato não foi determinado, mas parece ser independente de má absorção ou duração da doença.

O que é de consenso geral entre os pesquisadores é que no estágio inicial da doença, os alimentos ricos em Bõ, B12, vitaminas A, E e zinco devem ser consumidos em quantidades acima do recomendado, a fim de manter o nível sangüíneo desses nutrientes assegurado.
O objetivo da orientação sobre nutrição dirigida a indivíduos com infec-ção pelo HIV é convencê-los da importância de modificar o seu consumo de nutrientes logo após o diagnóstico, para promover a manutenção de peso e impedir a desnutrição protéico energética (DPE) e as deficiências de minerais e vitaminas.
Isso é conseguido através do uso de fórmulas completas e balanceadas, destinadas especificamente a suplementar o consumo regular de alimentos para pessoas com HIV, tornando o organismo mais resistente do que a doença. Com isso aumenta o tempo e melhora a qualidade de vida desses indivíduos soro-positivos.

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 19:38 Tags:, ,

22 de abril de 2013

Dieta para quem tem HIV

Por que o aidético emagrece e o que ele pode fazer para adquirir peso.

A Aids é definida como uma doença caracterizada por uma infecção pelo vírus da imunode-ficiência humana (HIV). Pode ocorrer o aparecimento simultâneo de várias outras infecções ditas oportunistas, bem como síndromes e outras malignidades. A contagem dos linfó-citos T-CD4 no sangue (um tipo de glóbulo branco) torna-se menor do que 200 células/ul no indivíduo portador desse vírus.

Desnutrição.
O estado nutricional dos indivíduos portadores é influenciado em todas as fases da Aids. Os estágios da doença estão associados à perda de peso, manifestações iniciais de desnutrição protéico calórica e deficiências de alguns minerais e vitaminas. Nos estágios finais, o estado nutricional é agravado por sintomas, tais como má absorção e diarréia, lesões orais e eso-fágicas, dores, anorexia (falta de apetite), náuseas, vômito e infecção.
A má nutrição severa que acompanha a infecção pelo HIV é a maior causa de morbidade e mortalidade em pacientes com essa síndrome. A perda de peso é uma ocorrência comum entre os pacientes aidéticos e é freqüentemente severa e progressiva. Os trabalhos mostram que os pacientes infectados perdem em média 15% do peso em relação ao peso usual. Outros estudos têm documentado perdas de peso dessa magnitude, e a relação entre perda de peso e morte tem sido demonstrada.
Os pacientes que perdem mais que 20% de seu peso corpóreo, têm diminuído em média o seu tempo de vida. Portanto, o ganho em peso através de uma suplementação alimentar correta e adequada significa aumento de vida.
Dois fatores importantes devem ser considerados para o controle da doença: (1) o estado nutricional do indivíduo e (2) a capacidade de consumir, tolerar e seguir à risca a orientação nutricional adequada.
Os indivíduos desnutridos infectados pelo HIV desenvolvem sintomas da Aids mais rapidamente do que indivíduos infectados, porém, bem nutridos. Isso ocorre em virtude dos efeitos prejudiciais, da desnutrição juntamente com o HIV sobre o sistema imunológico.
Assim, a identificação da deficiência nutricional e a intervenção adequada são necessárias em todos os estágios da infecção, devendo iniciar-se logo após o diagnóstico.

Perda de apetite.
A perda de apetite (anorexia) é uma ocorrência extremamente comum em quem tem Aids. Ela pode ocorrer como uma conseqüência direta de manifestação de Aids ou pode resultar de febre, infecção, sintomas gastrointestinais, efeitos colaterais de medicamentos ou ocorrências emocionais.
Os fatores psicológicos como a ansiedade e a depressão também podem contribuir para a anorexia.
A anorexia e a ingestão diminuída podem ser fontes básicas que levam à desnutrição em indivíduos HIV positivo.
A diarréia é, freqüentemente, o sintoma gastrointestinal observado em indivíduos com Aids, ocorrendo entre 50 a 90% deste grupo. No entanto, pode ocorrer diarréia inexplicada em pacientes infectados pelo HIV, porém, sem a Aids. Os indivíduos com diarréia apresentam maior perda de peso corporal e menor massa corpórea magra, necessitando de um maior consumo de nutrientes específicos e de energia.
A má absorção de nutrientes é outra ocorrência comum nos pacientes com Aids e, em muitos casos, envolve gordura ou vitamina Bi2. A vitamina B]2 é essencial para o funcionamento de todas as células, especialmente para as do trato gastrointestinal, medula óssea, tecido nervoso e para o crescimento. Ela está envolvida no metabolismo de proteínas, de gordura e de carboidrato e associada à absorção e ao metabolismo do ácido fólico. A vitamina Bi2 está presente somente nos alimentos protéicos de origem animal. O leite fresco, os ovos, os peixes, os queijos e as carnes musculares são boas fontes. O leite pasteurizado perde 40 a 90% dessa vitamina.

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 19:38 Tags:, ,

12 de abril de 2013

Plantas medicinais para artrose

O socorro das plantas.

Quanto ao uso de plantas medicinais ou derivados na cura da artrose, existem à disposição substâncias de origem vegetal com propriedades condroprotetoras, (preservam as cartila-gens do desgaste) e antireumaticas, porque intervém sobre vários fatores inflamatórios e álgicos. As plantas mais representativas são, entre outras, as seguintes:

Ruibarbo – E rico em reina, uma molécula da qual se obtém a diacereí-na. 50g/dia, fornece um precioso elemento terapêutico de ação antiartrósi-ca. Inibe a atividade das enzimas pro-teolíticas e condrolíticas, responsáveis pelas alterações das cartilagens propensas à artrose. A diacereína gera processos reparativos do dano cartila-ginoso, facilitando a reconstrução do tecido. Além disso, apresenta ação an-tiinflamatória e analgésica. O ruibarbo é, portanto, um remédio de fundo para os artrósicos e se consagra como uma especialidade farmacêutica.

Salgueiro – Contém eterosídeos salicílicos, moléculas complexas compostas de derivados do ácido salicílico. O córtex do salgueiro se encontra em algumas preparações fito-terapêuticas associadas à groselheira e óleos essenciais ou a arpagofitos (extratos secos e fluídos). O olmo é encontrado como suspensão integral da planta fresca.
» Garras do diabo – Vegetal rico em glicosídios iridóidios (procumbí-dios, harpagosídios e harpagídios), que constituem um interessante grupo de moléculas com destacadas propriedades anti-reumáticas. Prático e eficaz é o extrato nebulizado, em cápsulas, com posologia variável de 2 a 3g ao dia. Moléculas similares estão presentes em outras plantas, entre as quais a plantagina, uma espécie de capim.

Castanheiro-da-índia – Essa bela planta, presente em muitos jardins, contém um complexo plurimolecular chamado excina, que é extraído das sementes e do córtex. O extrato total do castanheiro possui propriedades analgésicas e contém moléculas ativas de comprovada ação antiinflamatória, entre as quais a exculoside, que tem se mostrado um potente inibidor das enzimas essenciais como as lipoxige-nadas e as cicloxigenadas. O castanheiro é também rico em tanino e fla-vonóides. Essa é uma planta cujos extratos são indicados na cura da artrose dos quadris, dos joelhos e dos pés.

23 de janeiro de 2013

Beneficios da soja na saude

Anticancerígena.
Outras pesquisas têm apontado a soja como redutora natural do colesterol e do colesterol LDL. Apenas 25g por dia, de soja ou algum de seus derivados, são suficientes para diminuir o nível de colesterol. Isso acontece porque a soja é rica em vitamina E, considerada um antioxidante do LDL. Quando o colesterol LDL oxida, pode causar maior aumento no colesterol total, além de lesões internas nas paredes arteriais. Na Itália, a soja é fornecida gratuitamente pelo governo para o tratamento de doenças cardíacas e colesterol alto.

O mais excitante, porém, em relação à soja são as substâncias anticancerígenas que o grão possui, entre elas: saponina, filosterol, isoflavonas, ácidos fenólicos e inibidores das proteases. Muitos outros vegetais também ricos em produtos anticâncer têm sido pesquisados pela medicina moderna. E o caso do germânio, do alho, do tomate, da berinjela, brocóli, repolho e outros.

A soja, porém, possui uma substância que lhe é peculiar. E a chamada genisteína. Do grupo das isoflavonas, a genisteína se destaca pela sua semelhança com o hormônio feminino Estradiol. Os chamados cânceres hormônio dependentes (mama, ovário e útero) dependem da atuação desse hormônio. Estes órgãos possuem receptores do hormônio feminino, ou pequenos locais que atraem e fixam o hormônio no órgão alvo. Como a genisteína tem a estrutura semelhante do hormônio, ela ocupa o lugar (receptor) do mesmo nos chamados órgãos alvos, diminuindo a produção de câncer. Pesquisas em ratos têm comprovado estes resultados. Estudos epidemiológicos também comprovam a menor incidência destes tipos de câncer em populações com alta ingestão de soja como no Japão e China.

A concentração de genisteína na soja e seus derivados é a seguinte:
• Soja em grão cozido (1/2 x(cara) – 35mg
• Leite de soja (1 xícara) – 40mg
• PVT (Soja texturizada -1/2 xícara) – 35mg
• Tofu (1/2 xícara) – 40mg
• Farinha de soja (1/2 xícara) – 50mg

A quantidade aconselhada para se alcançar um nível adequado de genisteína é de 25mg por dia, o que corresponde a pouco menos de meia xícara de grão de soja por dia, ou pouco mais da metade de uma xícara de leite de soja, ou menos de meia xícara de PVT, ou pouco mais de 1/4 de xícara de tofu, ou 1/4 de xícara de farinha de soja. O óleo de soja, a margarina e os chamados concentrados de soja não contêm genisteína.

Outros estudos têm descoberto que a genisteína diminui o crescimento das células cancerígenas por inibição de certas enzimas. Além dos cânceres femininos acima mencionados, existe o potencial de prevenção também do câncer de intestino, de pele e de certos tipos de leucemia. Estudos em animais de laboratório comprovaram que a genisteína inibe o crescimento de tumores cancerosos porque ela diminui a formação de capilares sangüíneos nestes tumores, os quais são essenciais para o desenvolvimento dos mesmos. Isto também pode sugerir que a genisteína seria útil no tratamento e prevenção de doenças com proliferação vascular intensa, como a teleangectasia e a retinopatia diabética.

Outra vantagem da genisteína é que as células cancerígenas costumam desenvolver resistência à ação da quimioterapia, ao passo que a genisteína não produz nenhuma resistência. E claro que muitas das pesquisas sobre a soja e a genisteína têm sido dirigidas para a produção de uma droga para a cura do câncer. Mas não devemos esquecer que o alimento, simplesmente o grão de soja, possui propriedades suficientes para atuar como um preventivo do câncer. O grande segredo aqui é desenvolver receitas que utilizem o grão de soja, bem como os seus derivados. Acredito que uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, soja, alho, fibras, e um regime de vida sem cigarro, álcool, gorduras e proteínas animais é a maior arma contra o câncer e, quem sabe, para a maioria das doenças crônicas.
A Bíblia diz que o homem foi criado vegetariano (Gênesis 1:29). Será que hoje temos esta inumerável quantidade de doenças porque estamos vivendo à margem do regime original?

21 de janeiro de 2013

Beneficios da soja

Soja , o grão da vida.
A leguminosa que concentra elementos anticancerígenos e anticolesterol.

Anos atrás, uma pesquisa demonstrou que porcos alimentados com soja apresentaram descalcifica-ção óssea. Esse achado combinava com a teoria de que a soja continha uma proteína de valor incompleto, quando comparada às proteínas da carne. Inclusive o valor PER (Protein Efficiency Ratio – Grau de Crescimento da Proteína) é considerado como sendo de menos de 80% quando comparado à proteína de origem animal que é de 100%. O PER foi calculado em ratos alimentados com
proteínas e que tiveram o crescimento avaliado, depois de certo tempo. Por causa disso, a soja tem sido considerada como proteína incompleta. Mas a novidade é que isso é válido para ratos, porcos e outros animais, mas não para o ser humano.

Segundo o Dr. Messina, ex-diretor da Divisão de Prevenção e Controle do Câncer dos Estados Unidos, editor da revista Soy Connection (A Conexão da Soja), a proteína da soja é tão completa quanto a da carne, para o crescimento normal do ser humano. O aminoácido limitante, o qual era considerado em baixa quantidade na soja, a me-tionina, na verdade existe em adequadas condições para as necessidades humanas.

Doutor China.
Tudo indica que o homem foi criado por Deus com um regime vegetariano. De acordo com o Dr. Messina, a primeira dieta do ser humano foi à base de vegetais. A informação não é tão nova assim, pois em países como a China, a soja é considerada como elemento básico há centenas de anos.
Também vale aqui a consideração a respeito da mortalidade infantil na China. O Dr. Harry Willis Miller, médico missionário adventista na China, antes da revolução comunista, avaliou o problema de excesso de mortes infantis no país, concluindo que a principal causa de morte era a desnutrição. O médico também observou que a soja era um grão muito bem cultivado na China. Assim o “doutor China”, como ficou conhecido depois, inventou o leite de soja e a chamada “vaca mecânica” (aparelho para produzir o leite de soja) salvando a vida de milhares de crianças.
Mas não é só como proteína completa que a soja vem sendo destacada. Na verdade, o grão de soja é um dos mais completos alimentos, possuidor de inúmeras qualidades curativas e preventivas.

A osteoporose é uma doença comum em mulheres depois da menopausa, responsável por ossos frágeis e alto risco de fraturas. Evidências modernas têm relacionado a doença, não somente à quantidade de cálcio ingeri da, mas também ao cálcio eliminado pela uri na. Sendo assim, a proteína de origem animal produz elevada eliminação de cál cio pela urina, ao passo que as proteí nas vegetais, principalmente as de soja, sofrem menor eliminação. Também a filtração dos rins é considerada mais eficiente e duradoura em indivíduos com alta ingestão de soja como proteína.

17 de agosto de 2012

FOS limpa as artérias

Não conhece a sigla? Significa fruto-oligossacandeo, um tipo de carboidrato capaz de manter o intestino em ordem, reduzira incidência de tumores e prevenir o diabete. “Ele tem a alegação de propriedade funcional aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, conta a engenheira de alimentos Maria Cecilia Toledo, da Universidade Estadual de Campinas, no interior de São Paulo. No último encontro da Associação Americana do Coração, cardiologistas chineses mostraram que a substância, usada como adoçante em alguns países, reduz o colesterol e a pressão arterial. “No Brasil, seu uso está autorizado como fibra dietética solúvel, não como adoçante”, explica Maria Cecilia. Além de vegetais, você o encontra em produtos como leite, sucos e iogurtes.

ONDE O FOS ESTÁ:
• Chicória
• Alcachofra
• Alho
• Cebola
• Banana

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 15:27 Tags:

23 de julho de 2012

Você acredita no poder curativo das plantas?

O governo federal irá ampliar a oferta de plantas medicinais e remédios fitoterápicos na rede pública. A idéia é aumentar o número de cidades e a variedade de substâncias disponível. Você acredita no poder curativo das plantas?
Sim 96%
Não 4%

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 23:36 Tags:

11 de julho de 2012

Garcinia em capsulas

Tudo sobre as cápsulas.
O que é a garcínia?
É uma fruta do sul da Ásia. No Brasil, podemos encontrá-la como mangostão ou mangostin. A venda em mercados e feiras, a unidade custa cerca de R$ 1. Por causa do preço, é mais interessante tomar as cápsulas, feitas do extrato seco.

Onde encontro as cápsulas?
Você pode comprá-las em farmácias de manipulação ou em lojas de produtos naturais. Nesse último caso, procure pelo selo da Anvisa. Até agora, há apenas um medicamento fitoterápico que leva o registro do órgão. Chama-se Belly e é feito pelo Laboratório Tiaraju.

A receita médica é necessária?
Sim. Deve-se ter prescrição e acompanhamento médico para definira dosagem correta.

Qual o preço médio?
A quantidade para um mês (90 cápsulas manipuladas) varia de R$40 a R$100. Pesquise preços, pois eles oscilam muito.

Como tomar?
São três cápsulas ao dia, entre 30 e 60 minutos antes das refeições. Consulte um nutricionista ou um fitoterapeuta.

Há contraindicações?
Grávidas, lactantes e crianças não devem tomar.

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 16:54 Tags:

9 de julho de 2012

Ervas para emagrecer

MILAGROSA.
A garcinia reduz o apetite de oito maneiras diferentes.
A planta que tira a fome!
Perca até 5 kg por mês com a garcínia, que, em cápsula ou chá, fará você parar de comer doces!
Não existe inimigo pior para a dieta que um docinho. E que mulher não é louca por chocolate? Daí os efeitos da fruta garcinia cambogia serem tão impressionantes. Viva!conversou com vários especialistas e preparou um dossiê sobre essa planta incrível que, em forma de cápsula ou chá, reduz o apetite e a vontade de comer doces. Veja como ela fará você perder 5 kg em um mês!
OS 8 BENEFÍCIOS DA FRUTA.
Saiba como a garcínia, em chá ou cápsula, atua no corpo
1 Diurética, favorece a eliminação de líquido pela urina.
2 Suas fibras facilitam a liberação das fezes.
3 Reduz a gordura do organismo, pois impede a formação dela pelo fígado ao inibira enzima liase.
4 A inibição da liase pela garcínia também ajuda a absorver a gordura no sangue, melhorando o colesterol.
5 por conta da diminuição da gordura no sangue, a glicose aumenta. Isso faz com que você perca a vontade de comer – principalmente doces.
6 A orexina, hormônio que regula o apetite, é reduzida.
7 O apetite também diminui porque e planta atua no centro da fome, no hipótalamo.
8 A fruta aumenta o metabolismo das gorduras, fazendo com que elas queimem mais rapidamente.

Filed under: Plantas medicinais — admin @ 16:54 Tags: