29 de dezembro de 2010

Planta mangabeira

MANGABEIRA (Harcomia speciosa Gomes).
Família das Apocináceas. É um arbusto de caule rugoso e áspero, com ramos em círculos e folhas lanceoladas. O fruto é piriforme, vis-coso, de polpa acidulada. “… na vizinhança do mar da Bahia se dão umas árvores nas campinas de terras fracas, que se chamam mangabeiras, que são do tamanho de pessegueiros…” O fruto é amarelo, corado de vermelho, como pêssegos calvos, ao qual chamam mangabas; que são tamanhas como ameixas e outras maiores; as quais em verde são todas cheias de leite e colhem-se inchadas para amadurecerem em casa, o que fazem de um dia para outro, porque se amadurecem na árvore caem no chão. Esta fruta se come sem se deitar nada fora, como figos cujas casca é tão delgada que se lhe pela se as enxovalham, a qual cheira muito bem e tem suave sabor, é de boa digestão e faz bem ao estômago, ainda que comam muitas; cuja natureza é fria, pelo que é muito boa para os doentes de febres, por ser muito leve. Quando estas mangabas não estão bem maduras, travam na boca como as sorvas verdes em Portugal, e quando estão inchadas são boas para conserva de açúcar, que é muito medicinal e gostosa.” (Gabriel Soares.) As mangabas, quando verdes, são venenosas. O seu suco tem sido preconizado contra úlceras, herpes e tuberculose. “… fruto delicado, quando cai da planta não deve ficar à ação do Sol, porque corrompe-se: apanha-se num dia para ser comido no outro: é estomacal, substancial, e não faz mal aos doentes, de forma que em Sergipe chamam-na “fruto-de-doente. Entretanto, convém cautela.” (Almeida Pinto.)