29 de outubro de 2010

Planta estaquida

Estãquida:
Ela cresce abundantemente nas margens dos riachos e dos lagos. Seu nome deriva do grgeo “Stachys” — espiga. Chamam-na ainda de urtiga-morta, porque não causa irritação na pele e tem, de longe, semelhança com a urtiga; também denominam-na urtiga-fedorenta, devido ao cheiro desagradável que exala ao serem esfregadas as suas folhas. As flores da estáquida são de cor avermelhada. Dizem que os porcos apreciam as suas raízes, grossas e carnudas, e na verdade estas contêm uma substância farinhosa muito alimentícia. Foi muito usada antigamente, sendo comprovada a sua ação antispasmó-dica semelhante à da balota. Acalma os espasmos das vísceras, as angústias, propiciando aos doentes noites repousantes. Os médicos a empregam com bons resultados para abrandar as dores que afetam algumas mulheres durante as regras. Os efeitos da planta parecem-se com os da ergotina, mas sem contra–indicações. É considerada, também, como um hipnótico e sedativo dos órgãos genitais, principalmente do útero, podendo ser usada sob a forma de infusão, na dose de um pequeno punhado da planta, três vezes ao dia. A betônica (stachys betonica, Beuth) possui propriedades análogas.

28 de outubro de 2010

Estãquida

ESTÃQUIDA (Stachys palustris, L.).
Família das La-biadas. As estáquidas, seja a do brejo ou a do mato, são plantas muito comuns, a que se filia grande parte das plantas aro-máticas. Conta-se de um lavrador que, estando no trabalho, cortou-se com a foice, fazendo um ferimento profundo, e que conseguiu curar-se sozinho, colocando na ferida folhas esmagadas de estáquida misturadas com gordura, e mantendo-as aí com faixas feitas de sua própria camisa. O ferimento cicatrizou em pouco tempo e um médico, que se havia proposto cuidar do lavrador gratuitamente, ficou admirado quando este não quis aceitar os seus préstimos, porque — disse — o remédio que usara num momento de aflição já o havia completamente curado… Por isso a planta passou a ser também chamada de “cicatrizante-do-mato”.