29 de setembro de 2010

Planta medicinais DULCAMARA

DULCAMARA (Solanum dulcamara, L.).
Família das Solanáceas. Planta também conhecida pelos nomes de doce-amar-ga e erva-de-cão. Cresce geralmente nas cercas e nos vaiados. Ê uma espécie de liana, com folhas ovais e pontudas e dá flores menores do que as da batata, mas com a mesma forma, e sua cor é geralmente violeta. Os seus frutos são vermelhos, como o são as bagas de quase todas as Solanáceas. A parte utilizada em Medicina é a haste da planta (de um a dois anos), que se corta em pedaços de 0,50m ou em pequenas porções. Segundo diversos autores, ela possui propriedades depurativas e sudoríficas, recomendadas contra algumas moléstias da pele e contra o reumatismo. O Dr. Verley-Leclerc aconselha um xarope depurativo à base de doce-amarga, com a seguinte fórmula: lOOg de hastes escolhidas e limpas, cortadas, deixadas em infusão durante seis horas, num litro e meio de água fervente. Coar espremendo Deixar repousar e retirar o que subir à superfície do líquido. Acrescentar 180g de açúcar para cada lOOg de líquido, levar ao fogo durante uns minutos, passar de novo. Tomar 3 a 5 colheradas de sopa por dia do xarope assim preparado. A planta também pode ser recomendada sob a forma de decocção à razão de 30 por 1.000 ou em forma de extrato aquoso (la 5g). A doce-amarga encerra um saponóide glico-sídico, o ácido dulcamárico e um saponóide não-glicósido, o ácido dulcamarético (dulcamarina), e um glicosido alcalino, a solaceína. Tal composição explica os seus efeitos.