26 de agosto de 2010

Ocotea cujumary

CUJUMARI (Ocotea cujumary Mart.).
Família das Lau-ráceas. Árvore dc caule grosso e muito alta, ramos ferrúgeo–tomentosos somente no ápice, casca espessa, folhas pecioladas, ovais ou elíptico-lanceoladas, esparsas, longo-estreito-acumina-das, ligeiramente obtusas na base, até 15cm de comprimento e 37mm dc largura, coriáceas, peninervadas, verdc-pardacentas, quase glabras nas duas páginas ou com leve pubescência bran-cacenta na página inferior, flores dióicas, exteriormente amare-lo-ocrácco-pálidas, interiormente brancas, ferrugíneo-tomento-sas, dispostas em tirsos piramidais; o fruto é uma baga-ilipsóide de 13mm de comprimento e 8mm de diâmetro, com cúpula crassa na base. É planta medicinal e sua casca é aromática, excitante e digestiva. Seus frutos (Cujumary beans, como a denominam os ingleses), alem de serem aromáticos são oleaginosos, tônicos, antidispépticos e comprovadamente úteis no combate à atonia intestinal, sendo que as pessoas da zona rural misturam em partes iguais às cinzas do lenho mal queimado de certa Legu-minosa conhecida pelo nome de Peracuúba ou Piracuúba. Seu habitai são os campos e as matas. O Estado brasileiro que mais contém o cujumari é o Amazonas. É também conhecida pelos nomes de cucheri, cuchumari, Cucumari, Cuiumari Cumari ou Cuimari. Além das propriedades medicinais, essa planta fornece madeira de boa qualidade para construção civil e naval, sendo utilizada também nos serviços de carpintaria e marcenaria.