27 de julho de 2010

Cordão de frade

CORDÃO DE FRADE.
(Leonotis nepelaefolia, R. Br.). É uma erva anual e sublenhosa de caule quadrangular avelu-dalo pubescente, medindo até 2m de altura, simples ou ramificado, com folhas ovadas até ovado-deltóides, opostas, cunea-das ou subcordiformes na base, finalmente crenadas de 4 a 12cm de comprimento, suas flores são pediceladas, de 25mm com cálice pulverulento e corola bi-labiada, vermelha ou roxa, ou ainda laranja-amarelo, manchadas, e dispostas em racimos densos, verticilados, de 5 a 6cm de diâmetro. É planta medicinal, antis-pasmólica, anti-reumática,. antiasmática, febrífuga, diurética e útil contra úlceras de caráter maligno, a elefantíase incipiente e as hemorragias uterinas. As suas folhas contêm um óleo volátil muito perfumado e a flucoside “leonotina”. Existe a lenda de que clareia a roupa. É planta muito comum no Brasil, principalmente nos Estados litóreos. Outra lenda diz que acompanha o homem. Só vegeta onde o homem vive ao seu redor. Conhecida também com o nome de cordão-de-são francisco. pau-de-praga e rubim. Uma outra espécie (Leucas martinicen-sis, R. Br.) é também planta anual, de caule herbáceo, eretc até 130m de altura, geralmente ramoso, denso-pubescente, com ramos obtuso-quadrangulares, pilosos e profundamente sulca-dos. Suas flores são sésseis, brancacentas e vilosas, de cálice bi-labiado, dispostas em verticilos axilar-globosos, distanciados, multiflores. E perfumada, tônica e antispasmódica, sendo também empregada nas nevralgias. Muito usada contra os tumores, o seu cosimento é recomendado no tratamento do reumatismo gotoso e articular agudo, segundo Caminhoã. A infusão de suas folhas constitui remédio carminativo e sudorífico. Floresce em todo o Brasil e é conhecida também como catinga-de-mu!ata. Seu fruto é aquênio c trígono; suas folhas florais estreitas como as caulinares, porém sésseis.