17 de maio de 2010

Planta cicuta veneno

Planta cicuta veneno

Cicuta veneno.
Antigamente usavam o vinagre e o suco de limão como contraveneno, sendo que hoje usa-se o tanino e o iodureto de potássio ou então a estriquinina ou o ópio. Na Grécia usavam-no como veneno para os condenados à morte. Uso idêntico fizeram os Espanhóis e os Marselheses. Na ilha de Ceos davam-na aos velhos julgados inúteis. Originária da Europa, espalhou-se por todo o mundo. No Brasil cresce expontânea-mente nas hortas, nos monsturos e junto às paredes das habitações. É conhecida também como funcho-selvagem.

16 de maio de 2010

Cicuta veneno

Cicuta veneno

O envenamento pela cicutina é tremendo, constituindo-se o mais enérgico veneno que existe depois do ácido cianídrico. Mesmo com uma pequena dose o paciente sente ligeiras vertigens, náuseas, mal-estar, dor de cabeça, des-faiecimento, a vista obscurece, a língua embaraça-se, coçeira na pele toda a erupção eritematosa, urinas abundantes, diminuição de calorias e das forças musculares, a pupila dilata-se, os membros agitam-se em movimentos convulsivos, paralisia nos membros e nas vias respiratórias; a seguir no coração e a morte sobrevem por asfixia, precedida de cianose, de estupor e de delírio.

15 de maio de 2010

Planta cicuta

Planta cicuta

Planta cicuta.
A conicina, também chamada “cicutina”, é um líquido oleaginoso, amarelado, mais leve que a água, de gosto acre e mau cheiro, constituindo o veneno enérgico tão conhecido no mundo inteiro. Porém, é empregado na medicina e sua dosagem é feita aos miligramas para combater o tétano, as convulsões e contrações, a tosse espasmódica, a coqueluche a asma e qualquer tipo de afecção nevrálgica ou reumáíica. Antigamente eram usados os mesmos tipos de medicamentos para curar as escrófulas, a tuberculose, a sífilis, a hidropisia, e numerosas outras moléstias.

14 de maio de 2010

CICUTA

CICUTA

CICUTA (Conium maculatum, L.).
Família das Umbe-líferas. Planta glabra verde-escura, crescendo até 2m de altura, sua raiz é napiforme, da grossura de um dedo, porém atinge de 20 a 25cm de comprimento, branco-amarelada com estrias cir-culares, caule ereto, forte, cilíndrico, fistuloso, nodoso, ramoso no ápice, esfriado, salpicado de manchas vermelho-violáceo, mais numerosas na parte inferior. O suco fresco desta planta tem mau cheiro, só comparável ao da urina de rato, porque contém fécula, albumina, goma, sais, resina, metileonicina, coni-drina e o alcalóide conicina, sendo que os frutos contêm um óleo volátil, muito perfumado, que se torna escuro e sólido ao contato com o ar.