18 de abril de 2010

Cha india

Cha india

Cha india.
Literariamente diríamos que o chá-da-índia “excita as faculdades da alma” no dizer de Melo de Morais. Entretanto, se ingerido como se faz comumente na Inglaterra, na média de vinte chícaras por dia, pode provocar distúrbios como pafalisia dos músculos da face, síncopes, espasmos, insônia, emagrecimento, excitação das vias digestivas e vertigens. De suas sementes extrai-se um óleo que antigamente serviu para falsificar o azeite de oliveira. Esse óleo é consumido na cosinha chinesa e na iluminação, assim como empregado no fabrico de sabões finos, brancos e duros. Esse óleo não pode entrar na alimentação do gado porque, dentre os ingredientes que contém, encontra-se a saponina, veneno que impossibilita o seu consumo. É utilizado apenas como adubo. Sua cultura é vasta tanto na China como no Japão

17 de abril de 2010

Cha de cravo da india

Cha de cravo da india

Cha de cravo da india.
Também a cinza é encontrada no chá-da-índia. Sua infusão é excelente para desenvolver a atividade cerebral, acelerar a circulação, facilitar a digestão, aumentar a diurese, provocando abundante transpiração quando tenha de agir como diaforética. Dão-lhe ainda outras qualidades terapêuticas eficazes contra a diminuição do pulso, combate ao’ coma, à hidropisia, à diarréia à cefalalgia, aos vômitos da gravidez, preventivo contra os cálculos da bexiga, dos rins, etc.

16 de abril de 2010

Cha cravo da india

Cha cravo da india

Cha cravo da india.
No Estado de São Paulo, também sua cultura é imensa. Dessa planta riquíssima que contém cafeína, alcalóides derivados da prurina, albumina, clorofila, ácido gálico, quercitânico e oxálico, matéria corante, resina quercitina, celulose, cera, goma, tanino e óleo essencial. Sua infusão é estimulante, sendo que em alta dose pode constituir-se narcótico. Contém também arabã, galactã, e hidratos de carbono que dão glicoses.

15 de abril de 2010

Cha da india

Cha da india

Cha da india (Camellia thea, L.).
Família das Ternstroemiáceas. É arbusto grande, medindo até 15m de altura. Essa planta foi introduzida no Brasil em- 1812, trazida da Ilha-de-França, por Luís de Abreu. Muito cultivada no Brasil, principalmente em Minas Gerais, na cidade de Ouro Preto.