27 de maio de 2009

Amoreira Preta

amoreira-preta

AMOREIRA-PRETA

(Morus nigra, L.). É árvore originária do Levante, pertencente à família das Moráceas. Pode atineir 5 a lOm de altura. Tem propriedades semelhantes às de sua aparentada, a amoreira-branca, mas não é empregada contra a diabete. Dizem que as folhas da amoreira são o aumento exclusivo do bicho-da-seda e que, na época de Henrique IV Olivier de Serres introduziu a sua cultura na França. Do ponto de vista medicinal, a amoreira-preta, assim como a branca, é utilizada em todo o mundo. A decoeção de sua casca (30 a 60g por litro de água ou de vinho) tem efeito purgativo. Misturada com a raiz da romãzeira, a casca serve para o prepara de uma tisana muito eficaz contra a solitária. As folhas da amoreira–preta, em infusão na medida de 40 a 80g por litro, são um bom febrífugo. A decoeção concentrada das folhas, usadas para gargarejos, acalma a dor de dente. Com os frutos faz-se uma bebida refrigerante muito aprecida. É a seguinte a receita que nos fornece Fleury de la Roche de um xarope de amoras, freqüentemente empregado como peitoral e adstringente: esmagar as amoras para extrair o suco; filtrar o suco e deixar em fogo brando; acrescentar açúcar, na proporção do dobro do peso do suco (de preferência açúcar em tabletes.) Deixar a mistura engrossar até à consistência de xarope normal e guardar em garrafas hermeticamente fechadas. Este xarope é útil contra o defluxo e a diarréia e tem, além disso, a virtude de eliminar os vermes intestinais. Em mistura com água de cevada constitui um bom gargarejo contra as ulcerações da garganta.