7 de maio de 2009

Agoniada

agoniada

AGONIADA

(Plumeria lancifolia Muell. Arg.). Da família das Apocináceas. Arvore pequena, chegando até 8m de altura, com raízes muito compridas e caule lactescente, sua casca é acinzentada, e suas folhas longo-pecioladas, grosso-lanceo-ladas, agudas, inteiras, até 25cm de comprimento e 3cm de largura. Suas flores são brancas, campanuladas, com a base do tubo amarelo, grandes, dispostas no ápice dos ramos em cimei-ras de 2 ou 3; seus frutos folículos geminados, fusiformes, de 9cm de tamanho normal, contendo sementes. É altamente medicinal. Sua casca é antiasmática, anti-sifilítica, emenagoga, pur-gativa, com ação direta sobre o útero, que descongestiona, auxiliando a concepção e regularizando as menstruações; usada também nas afecções histéricas, clorose, ingurgitamentos, gan glionares, linfatites e doenças da pele, solta muito látex anti-hel-míntico, cujo resíduo é borracha e nele se contém um ácido, o princípio amargo “plumerina” e o alcalóide “agoniadina”, sendo este último febrífugo, sucedâneo da quinina na cura das febres intermitentes. Porém, a dose elevada produz síncopes, delíquio e até mesmo a morte, sendo que essa substância é altamente venenosa. As folhas, também lactescentes, são medicinais, tendo as mesmas virtudes terapêuticas que a casca e ainda mais, são galactagogas quando colocadas sobre os seios das parturientes e a de restaurarem as forças dos órgãos genitais debilitados, quando cozidas e postas sobre os mesmos. Dizem, no entanto, que quem a emprega corre o risco de se tornar estéril. Os her-vanários e os feiticeiros chamam-na “Arapuê”.
As sementes serviam aos índios para a feitura de adornos, como colares, maracás, chocalhos e demais peças, principalmente para os dias festivos. Tem a variedade major (P. ago-niata Pk.), de maior porie. Essa árvore chega a ter 20m de altura e outra Microfila (quina-branca), respectivamente de folhas maiores e menores. No Brasil é grande o seu cultivo, abrangendo toda a região compreendida entre Goiás e Rio Grande do Sul. Conhecem-na também como Quina Mole ou Tapuoca.