18 de março de 2013

Prevenção contra derrames

A ingestão de frutas e verduras pode ser uma maneira segura de reduzir o risco de derrames em homens. Essa conclusão do Planejamento de Saúde Comunitária de Harvard, em Boston, Estados Unidos, foi obtida a partir do acompanhamento de 832 homens cuja saúde foi monitorada dos 18 aos 22 anos. Os pesquisadores disseram que os dados mostram que esses alimentos têm uma influência direta na redução da incidência de derrames, independente do estilo de vida que as pessoas levam.

16 de março de 2013

O mito do peixe

Um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard derrubou a crença de que comer peixe com freqüência pode reduzir o risco de doenças cardíacas. Na maior pesquisa já realizada sobre o assunto, os epídemiologistas de Harvard analisaram informações sobre os hábitos alimentares e a saúde de 45 mil pessoas. O resultado mostrou que não há nenhuma relação entre o hábito de comer peixe e o índice de complicações cardíacas.

De acordo com o estudo publicado na revista New En-gland Journal of Medicine, pessoas que comem peixe uma vez por semana têm o mesmo risco de desenvolver doenças cardíacas que aquelas que comem peixe seis vezes por semana. A crença de que comer peixe é benéfico ao coração se originou no fato de que a taxa de mortes causadas por doenças cardíacas é baixa em países onde o peixe é muito consumido, como o Japão.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 19:17 Tags:,

14 de março de 2013

Dieta variada

Há muito tempo que as propriedades benéficas do betacaroteno são conhecidas e propagadas. Mas agora pesquisadores descobriram que sozinho esse nutriente não produz o efeito desejado à saúde: proteger contra o câncer e doenças cardíacas.

Para ser realmente eficaz, o betacaroteno, presente principalmente na cenoura e na laranja, precisa ser consumido junto com outros carote-nóides, revelaram cientistas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Isso significa, na prática, consumir diariamente uma ampla variedade de frutas e vegetais, especialmente os de folha verde. As frutas devem ser as de cor vermelha, laranja e amarelo forte.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 19:16 Tags:,

11 de março de 2013

Chás para insônia

Preparo de chás.

Lúpulo, maracujá e melieea.
1 colher (eopa) de lúpulo.
1 colher (eopa) de maracujá 7 colher (eopa) de melieea 3 xícarae de água fervendo. Junte ae ervae e deixe na água fervendo até eefrlar. Coe e uee na parte da tarde, até a noite, 3 a 4 xícarae deeee chá.

Tília, cidreira e valeriana.
1 colher (eopa) de tília 1 colher (eopa) de cidreira 7/2 colher (eopa) de raiz valeriana.
3 xícarae de água fervente. Deixe a raiz de valeriana na água fervendo por doie minutoe. Desligue o fogo e acrescente ae outrae ervae. Quando amornar, coe e uee três xícaras ao dia.

Manjerona, gatária e flores de laranjeira.
1 colher (sopa) de manjerona.
1 colher (sopa) de flores de laranjeira ou limoeiro 1 colher (eopa) de gatária 3 copoe de água fervendo. Proceda como recomendado noe cháe anteriores.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 19:40 Tags:,

23 de dezembro de 2012

Niveis de açucar no sangue

Pimenta do reino.

Li em algum lugar que, embora os limites para a quantidade de açúcar no sangue estejam entre 70 e 110 mg/dl, pode-se ajudar a contagem acrescentando ao último a idade. Assim, por exemplo, uma pessoa com 40 anos poderia ir até 150mg/dl. E correto? Outra coisa que gostaria de saber é se a pimenta pode ser um forte causador de câncer ou isso é boato por ser apenas um vegetal igual a qualquer outro? -M.C.. Rio Claro, SP.

Os limites normais de açúcar no sangue são realmente os mencionados: 70 a 110 mg/dl. A técnica de somar a idade ao limite máximo pode ser simpática, mas trará conseqüências ao organismo. Níveis de glicose em torno de 150mg ou mais comprometem a capacidade defensiva do organismo. Além disso, sabemos hoje que apesar das taxas de açúcar no sangue estarem elevadas nos diabéticos, a quantidade de insulina no sangue é normal. A dificuldade do diabetes no adulto é mais de acesso da glicose à célula do que falta de insulina.

O uso da pimenta é danoso às mucosas digestivas pelo seu caráter irritante. Pode produzir inflamação no aparelho digestivo e exige, com o passar do tempo, doses maiores nos alimentos para estimular o apetite. Quanto ao caráter maligno da pimenta, não temos trabalhos científ

21 de dezembro de 2012

A saúde do mundo

Segundo a OMS, a taxa mundial de mortalidade infantil diminuiu consideravelmente nos últimos anos. A cada 1.000 crianças que nasceram, 62 morreram. Ao mesmo tempo, se prevê uma desaceleração no crescimento da população da ordem de 1,7% entre 1990 a 1995, para 1% entre 2020 a 2025.
Informa ainda a Salud Mundial (órgão informativo da OMS) que os projetos mundiais de vacinação infantil alcançaram 80% em 1990, mas a previsão é que, até o final deste século, o mundo presencie a erradicação da poliomielíte e da dracunlose (doença provocada pelo nematóíde Dra-cunculus medínenses. Caracteriza-se por úlceras nos pés e pernas). Espera-se também a eliminação da lepra, do tétano neonatal e do sarampo.

Há, porém, uma barreira que ainda se espera vencer. São as desigualdades sociais que dão origem a boa parte dos problemas de saúde mundial. A defasagem entre os países em desenvolvimento e os menos desenvolvidos, com respeito à esperança de vida ao nascer, e a taxa de mortalidade infantil têm se ampliado nos últimos 10 anos. Além disso, a urbanização acelerada tem marginalizado os pobres urbanos e os refugiados internacionais, elevando o número de desabrigados em nível nacional a 40%, entre 1990 e 1993, o que significa dizer que existem hoje mais de 40 milhões de pessoas que vivem sem qualquer tipo de assistência de saúde.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 17:08 Tags:,

19 de dezembro de 2012

Leite saúde

Superleite.

Pesquisadores da Organização de Pesquisa Industrial e Científica da Comunidade Britânica localizada em Sydnev, Austrália, dizem ter desenvolvido uma ração para vacas que as levariam a produzir leite com 25% menos de gorduras saturadas do que o leite comum.

A ração é produzida a partir da transformação das sementes de colza espécie de couve silvestre – em um pó, que é recoberto por um extrato protetor e que é adicionado às rações convencionais. Na alimentação tradicional, o processo de rumínar transforma o alimento dos bovinos em gorduras saturadas. O óleo de colza afeta a maneira como a ração é digerida, levando o animal a produzir leite com menos gorduras saturadas. Segundo os pesquisadores, o processo australiano também aumenta a produção de leite em 30%.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 17:03 Tags:,

17 de dezembro de 2012

Educação melhora saúde

Pesquisas realizadas em 25 países mostram que, nos lugares onde as mães receberam entre 1 e 3 anos de orientação escolar, a mortalidade infantil foi reduzida em 15%. A pesquisa, veiculada pela Salud Mundial, órgão informativo da Organização Mundial de Saúde, concluiu que quanto maior a taxa de escolaridade da mãe, menor é o índice de mortalidade infantil.

No Peru, por exemplo, sete ou mais anos de educação escolar reduzem o risco de mortalidade infantil em quase 75%. Dados de 13 países africanos informam que 10% de aumento nas taxas de alfabe-tízação feminina ocorrido entre os anos de 1975 e 1985, corresponderam a 10% do índice de mortalidade infantil observado na mesma época.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 17:02 Tags:,

11 de dezembro de 2012

O recurso das vitaminas

A medicina ortomolecular como prevenção e cura para doenças da terceira idade.

De longa data as vitaminas são conhecidas por médicos e pela população leiga como um recurso importante para a prevenção de algumas doenças. Como exemplo mais comum, podemos citar o uso da vitamina C para a prevenção de gripes e outras doenças infecciosas, bem como para a prevenção do escorbuto (doença de nutrição, causada pela carência da vitamina C).
A partir das pesquisas de vários cientistas eminentes como o Dr. Linus Pauling, descobriu-se que com dosagem de vitaminas bem superiores às recomendadas pelas tabelas nutricionais se poderia ter efeitos, tanto na prevenção como na cura de inúmeras doenças. Assim as pesquisas foram se aprofundando até ao ponto em que se formaram as primeiras associações de médicos que passaram a prescrever para os seus pacientes uma vitamina, ou associações entre várias, para o tratamento de um determinado mal. Graças a isso existem em quase todo o mundo especialistas nesta área, que pode ser considerada como natural.
Deve-se ter cuidado para não se automedicar sem o conhecimento exato das reações adversas que as vitaminas podem causar. A vitamina A, por exemplo, pode ser hepatotóxica em doses elevadas; a vitamina C pode formar pedras nos rins, se utilizada em excesso; e o Ferro origina muitos radicais livres (lixo celular) que envelhecem o organismo e dão origem a doenças crônico-degenerativas. O ideal é procurar os especialistas que sabem associar as doses ideais para cada paciente de acordo com a sua história completa, idade, sexo e massa corporal. Já foram até elaborados programas de computador que cruzam estes dados e ajudam o médico na sua prescrição.

Investigação.
Muitas vezes podemos ter dúvidas de onde provêm os desequilíbrios do paciente ou de quais vitaminas ou minerais causam o distúrbio. Por outro lado, poderíamos ter receio de que esteja havendo excesso de minerais tóxicos no organismo, como o chumbo, alumínio, mercúrio e outros, que originam certas doenças (fadiga fácil, irritabilidade, saturnismo, mal de alzheimer, etc.)
Para detectar esses desequilíbrios podemos hoje contar com sofisticados recursos de análise como o mineralograma, o vegateste e a análise de sangue para completar o diagnóstico. A análise de meio grama de cabelos nos permite detectar desequilíbrios nutricionais do nosso organismo em 38 elementos e que, relacionados entre si, por computador, nos permitem detectar a origem de um sem-número de doenças.

Doenças e terapia ortomolecular.
Muitas doenças simples e também doenças graves têm origem no mau relacionamento do homem com o seu meio ambiente, incluindo o mau consumo de alimentos e de água. Adicionalmente, o ser humano fuma, bebe e leva uma vida estressante e cada vez mais sedentária. Isso forma um depósito sempre maior de substâncias tóxicas no organismo e uma falta crônica de micronutrientes essenciais.
A falta de lítio, por exemplo, pode dar origens a depressões intensas. O excesso de níquel pode aumentar danos em tecidos pulmonares. A falta de cro-mo e zinco pode favorecer surgimento de diabetes. E a carência de magnésio pode endurecer os vasos sangüíneos, facilitando a instalação de hipertensão e ar-teriosclerose. O excesso de chumbo, principalmente quando associado ao excesso de cádmio pode provocar agressividade de pessoas, ao ponto da Justiça americana usar o mineralograma em condenados por crimes violentos, para amenizar a pena no caso dele indicar índice elevado desses elementos.
Estes são apenas alguns exemplos. Se analisarmos a fundo qualquer doença crônica-degenerativa descobriremos que houve desordem nos nutrientes ou intoxicação por substâncias tóxicas. A mais interessante conclusão a que podemos chegar, por coincidência a mesma dos cientistas e participantes de congressos internacionais, é: quanto melhor nos relacionarmos com o nosso meio ambiente (alimentação integral, rica em frutas e vegetais, abundância em água pura e exercícios físicos) menos problemas de saúde teremos. Na realidade a terapia ortomolecular surgiu para suprir as necessidades das pessoas que não conseguem seguir este estilo de vida ideal, planejado por Deus.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 16:02 Tags:,

9 de dezembro de 2012

Dieta da universidade

Sanavita é o alimento natural desenvolvido pela pesquisadora Dra. Jocelem M. Salgado.
Substituindo as três refeições (desjejum, almoço e jantar) pela “comida de laboratório”, o indivíduo perde de 1 a 3 quilos por semana, controla os níveis de coles-terol sangüíneo e do ácido úrico, e os intestinos funcionam melhor devido às fibras presentes nesse alimento.
As proteínas, aminoácidos, minerais e vitaminas, como betacaroteno e o zinco, são importantes para o sistema imunológico, prevenindo infecções.
O selênio presente nessa alimentação age impedindo a formação de radicais livres, evitando o envelhecimento precoce das células.

Filed under: Abc da saúde — admin @ 15:59 Tags:,