31 de maio de 2010

Folhas Cinamomo

A casca exsuda em lágrimas alongadas uma goma amarelo-claro, luzidia, adesiva, quase totalmente solúvel em água sucedânea da goma-arábica. (Dyloch). As folhas, nas quais se verificou (assim como na casca e nas flores) a existência de ácido cianídrico, são adstringentes, amargas e fétidas, reputadas estomáquicas, febrífugas, emíticas, anti-histéricas, antidiarréicas, antilíticas, emenagogas, resolventes de tumores, úteis na cura das nevralgias, assim como na das eólicas do cavalos; sempre de uso perigoso, virtudes estas mais ou menos atribuídas à casca; consideram-se também insetífugas, bastando espalhá-las no chão para espantar as pulgas; colocados os ramos nas tulhas de milho, não somente preservam este grão do ataque do gorgulho (curculionídeo), como ainda enxotam o que já esteja nele; dispostos entre a roupa afugentam igualmente a traça; para idênticos fins reduzem-se as folhas a pó ou faz-se a sua decoeção para empregá-la em outras plantas como inseticidas e, também, sobre o couro cabeludo e a pele humanas para matar certos parasitas e, sobre a pele dos animais domésticos, para igual fim. Daqui deve ter partido a lembrança recente de propalar-se que o Cinarnomo, sob o nome inédito e supérfluo de jasmim-de-cachorro, tinha a particularidade, quando plantado junto dos formigueiros de saúva, de matar estas terríveis formigas mas infelizmente essa asseveração não está comprovada.

Nenhum comentário »

Nenhum comentário.

Feed RSS dos comentários deste post TrackBack URI

Deixe um comentário

Você precisa fazer o logged in para publicar um comentário. .